07 março, 2019

De onde diabos surgiu o carnaval?


Na antiguidade já haviam diversas festas com o intuito de  celebrar a colheita e louvar os deuses. Os egípcios, hebreus, gregos e romanos se jogavam na gandaia, bem loucos bem tudo. Para se ter uma noção, na Roma antiga as 'saturnais' (festejo ao deus Saturno) eram tão loucas que até os escravos eram soltos durante a baladinha.

Haviam os carrum navalis, uma espécie de carro alegórico em formato de embarcação, que era tradição no meio da fanfarra romana. Há quem diga que essa pode ser uma das origens do termo carnaval, porém a maioria dos estudioso crê que a real origem vem da expressão latina carnem levare ('ficar livre da carne'). Já que na Idade Média essas festividades foram incorporadas pelos católicos como os últimos dias de 'liberdade' antes da quaresma.

* Pra quem não sabe o período de quaresma eram os 40 dias que antecediam a Páscoa e onde era proibido o consumo de carne.

Brasil, meu Brasil brasileiro...

Na nossa terra tupiniquim o Carnaval, no século 17, era algo bem diferente do que é hoje em dia. Nada de danças e músicas, o lance era muita brincadeira com água. Uma herança do entrudo, uma festa portuguesa com certeza.

Existem registros do início do século 20 onde já havia costumeiramente o hábito dos homens se vestirem de mulheres durante as festas.

Zé Pereira foi um português muy loco que em meados do século 19 saiu tocando um bumbo pelas ruas e logo foi seguido por muitas pessoas que aderiram a balburdia. Um início bastante desordeiro do que hoje conhecemos como os blocos de carnaval.

As marchinhas surgiram no final do século 19, sendo a clássica "Ó abre alas" considerada a pioneira nos salões. Chiquinha Gonzaga compôs em 1899, para o bloco Rosa de Ouro, do Andaraí, no Rio de Janeiro.

Fantasias...

Os bailes de máscara eram coisas dos nobres no século 13, na Europa. Só pelo século 19 as fantasias foram se tornando coisas mais populares. Nessa época as fantasias mais comuns eram de Arlequim, Pierrô e Colombina.


Nenhum comentário:

Postar um comentário