24 abril, 2019

A história do chimarrão


Os índios que habitavam o Sul da América do Sul foram os primeiros povos a terem feito uso da erva-mate. Eles sorviam a bebida no Tacuapi, uma espécie de bomba feita de taquara. O hábito e costume foi passado para os colonizadores, que incrementaram os utensílios com o passar dos anos (afrescalharam afú néãm).

De um começo clandestino e marginal, visto que já foi algo extremamente mal visto e até mesmo proibido no século XVI aqui no Brasil, o chimarrão conquistou até mesmo a classe mais rica. Então foram surgindo cuias e bombas de ouro e prata, até mesmo as questionadíssimas peças de porcelana.

A etimologia da palavra deriva do português Marron (clandestino) e do espanhol Cimarrón (bruto, chucro). Claramente significados dignos de colonizadores que se achavam superiores aos povos de origem da região.

No Brasil a bebida acabou sendo adotada pelos jesuítas como uma forma de socialização e também pois a proibição do mate acabou elevando o número de indígenas alcoólatras. Assim começou o renascimento desse costume e uma valorização forte na cultura do sul do país. Ligando o hábito a identidade do sulista.

Nenhum comentário:

Postar um comentário