02 maio, 2019

O valor da liberdade de imprensa


É celebrado no dia 3 de maio o Dia Mundial da Liberdade de Imprensa, que fora proclamada na Assembleia Geral da ONU, em 1993. Foi uma resposta ao apelo dos jornalistas africanos que, em 1991, elaboraram a Declaração de Windhoek sobre o pluralismo e a independência da mídia. A data serve para reafirmar os princípios fundamentais da liberdade de imprensa, para avaliá-la em todo o mundo, para defender a mídia de ataques contra a sua independência, e para prestar tributo aos jornalistas que perderam a vida no exercício de sua profissão.

Guillermo Cano Isaza, jornalista colombiano que fora assassinado em dezembro de 1986 é um dos profissionais constantemente lembrados, homenageado ao ter um troféu que leva seu nome, o Prêmio Mundial de Liberdade de Imprensa UNESCO-Guillermo Cano. Ele foi editor do jornal El Espectador e responsável direto por denunciar o tráfico de drogas no seu país e toda a máfia chefiada por Pablo Escobar. Sua morte ocorreu na entrada do escritório do jornal onde trabalhava e o edifício foi destruído em um ataque a bomba 3 anos depois.

Os responsáveis diretos não foram encontrados até hoje e o caso segue em aberto. Muitos dos investigadores foram ameaçados e subornados e os que não aceitavam o suborno acabaram assassinados.

O compromisso de longa data de Guillermo Cano com a diversidade de opiniões e as circunstâncias de sua morte simbolizam o preço pago pelos jornalistas em todo o mundo pelo exercício de sua profissão. Os jornalistas são presos e maltratados todos os dias e o fato de esses crimes, na maioria deles, ficarem impunes, é ainda mais alarmante.

Nenhum comentário:

Postar um comentário